sexta-feira, 26 de julho de 2013

fonte : Globo  News

Edição do dia 23/07/2013
24/07/2013 01h11 - Atualizado em 24/07/2013 13h50
            
 RF apreende mais de R$ 5 milhões em mercadorias em aeroporto de SP

Apreensões foram feitas nos cinco primeiros meses do ano em Guarulhos.
Houve aumento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado.

Carla Modena São Paulo, SP



A Receita Federal registrou um aumento no número de apreensões no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o maior aeroporto internacional do país.
 
A viagem da bicicleta acabou interrompida. Ela chegou dos Estados Unidos com uma nota fiscal no valor de US$ 1mil, mas a Receita avalia que ela custe quase seis vezes mais. A bicicleta divide espaço com caixas e caixas de mercadorias apreendidas em apenas dois dias. Muitos produtos vieram dos Estados Unidos e outros são da China. Boa parte é falsificado.
 
Nos cinco primeiros meses do ano, a Receita apreendeu mais de R$ 5 milhões em mercadorias nos terminais de passageiros do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.
 
Houve um crescimento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. "A Receita Federal aumentou, principalmente nos meses de maior movimentação nos aeroportos, a fiscalização", diz Luciana Pires, chefe de vistoria da Receita Federal.
 
Além disso, segundo a Receita, aumentou o número de pessoas que trazem de fora mercadorias com a intenção de revendê-las no Brasil. Os produtos mais apreendidos são roupas e acessórios. Eles chegam ao país através de passageiros que não declaram a mercadoria.
 
Quem viaja ao exterior de avião pode trazer o equivalente a US$ 500 em produtos isentos de taxas. Acima disso, o passageiro deve declarar a mercadoria à Receita e pagar o imposto de 50% sobre o valor excedente. Mas não é permitido a pessoas físicas trazer bens para vender no Brasil nem entrar com produtos usando notas subfaturadas.
 
“No caso da bicicleta, é aplicada a pena de perdimento pela apresentação do documento falso. Os bens podem ser doados a instituições de caridade ou incorporados ao patrimônio do governo”, explica Luciana.

Um comentário:

Fábio Sardinha disse...

já fiquei mais feliz, tinham me informado que o imposto sobre o valor fosse de 70%, já é uma economia. :)