sexta-feira, 30 de agosto de 2013

70.3 BSB

Apesar de ter sido minha primeira prova, eu já havia acompanhado a Isabella Chame no Hawai e em Penha no ano passado e fui também esse ano para Jurere assistir o Iron. Não que eu seja experiente, mas da para perceber quando a estrutura de uma prova é boa.

Essa prova não deixou nada a desejar principalmente no que diz respeito a hidratação, ponto critico de Brasilia. Alem disso, o percurso era mt bonito, quase sempre beirando o lago. (isso surpreendeu a todos. A área da largada era mt bacana tb, mega estrutura).

Tivemos apenas um pequeno incidente pois gostaríamos de deixar uma roda reserva na transição e não permitiram. Mas tudo bem.

Dia da prova:

3h da manha os olhos já estavam esbugalhados. Olhava pro lado e via que a Isabella tava acordada tb, e todos que estavam no complexo hoteleiro deviam estar acordados tb, pq alem do nervosismo, havia show de pagode que acontecia numa boate ali perto com o som no Maximo!

Fomos para Largada, todo mundo se cumprimentando, dando “boa prova”, “boa sorte”, “bebe água”, “come”, etc, e o nervosismo no high. O locutor mandou a gente pra agua e la se foram quase mil pessoas pra área de largada, um formigueiro. Eu, Isabella e Edgar, ficamos próximos para dar força um pro outro.

O locutor fala, fala, fala, ninguém presta mais a atenção e nada de largar... dps de 10 min boiando  e o primeiro xixi na roupa de borracha, foi dada a largada..  muito bacana: uma galera gritando, incentivando, uma energia mt boa, geral se debatendo, mas mt maneiro!

Nos primeiros 500 metros já tinha a sensacao que estava entre os últimos, mas beleza, pensava: “ainda temos mt prova pela frente” Mas nada tão ruim q não possa piorar. A boia estava bem de cara pro sol e quando vi tinha nadado mt pra esquerda, e la se vão mais algumas dezenas de posições.. mas enfim, não tava disputando com ninguém mesmo, so queria chegar.

Sai da água com 41 min e fui pra bike. Já no inicio uma subida meio bizarra, passei mt gente já nessa subida.. ai pensei: “to bem, vamos nessa” todo o percurso mt bacana apesar de não ter plano, era ou subida, velocidade perto de 20 ou descidas que dava pra colocar ate uns 50. Cheio de pontos de hidratação e passávamos varias vezes perto do lago. O vento que também estava bem forte, mas nada que atrapalhasse mt. Foram 3 voltas de 30 km, isso é bom pq psicologicamente diminui o percurso. A cada volta, era maior galera te incentivando, todo mundo tirando foto, gritando seu nome, mt bacana. Econtrei o Duda monteiro no km 30 mais ou menos e foi mt bom pq fomos juntos praticamente ate o fim, ele sempre alertando, “come, bebe, etc”. fazer a segunda volta toda perto dele foi bom pq me deu segurança, ter alguem conhecido por perto é excelente. Valeu Duda, pela força!! No km 70 encontrei a Isabella, e ai fomos juntos ate o fim da bike. (quase tomamos um penalty, mas disfarçamos na hora!!).

A bike foi mt boa, fiz em 2:58, melhor do q eu esperava, e cheguei numa boa, mas com vontade de ir ao banheiro pq nunca bebi tanta água e gatorade na minha vida... fiquei na paranoia de não desidratar e acho q bebi água pro ano todo.

Fomos pra corrida. Galera incentivando, Lucas Sousa, Flavinha, a Bruna (namorada do edgar), o Fernando (coisa) e mais alguns que eu possa ter esquecido..50 graus na sombra, uma lua bizarra, mas vamos nessa.

Eu e isabella correndo juntos, mt bom, pq um da forca pro outro.. (isso na teoria ne, pq no fim acho q so ela me deu forca, pq eu perdia forças exponencialmente a cada km)... mts pontos de hidratação tb (e toma-lhe água, gelo e gatorade). O percurso era legal, 3 voltas de 7km, tinha uma parte q eram perto do lago, outras que eram meio q na calcada, mas tranquilo, tava bacana. Durante toda corrida vc cruzava com outros atletas, todos se cumprimentavam, um dava forca pro outro, falava uma piada, um astral nota 10 a prova toda. O angustiante era ver as pessoas já com duas pulseiras e eu com nenhuma ainda. Eu pensava: “vamos nessa q daqui a pouco eu tb vou pegar essas ai”. Isabella sempre do meu lado, “vamos, tamos indo bem”.. mas no km10 bateu o desespero, a passada não ia mais e começou a doer o corpo todo. Pensei, “to cansado, mas vou completar, nem q seja andando”. A dor so aumentava, o sol dava dor de cabeça e comecei a me sentir bem mal. Isabella nessa hora foi fundamental pq ela abdicou da prova dela pra cuidar de mim ( o amor é lindo). Me esperou, falava palavras de força, me deu sal, gel, pegava água pra mim, gatorade, jogava água na minha cabeça e sempre falava: “vamos Rafa, ta acabando”.. e assim fomos ate o fim. Sem ela, teria sido praticamente impossível!! .. foi Sofrido, mas mt irado. 6:26h de prova!! Passar pela chegada e com a Isabella junto comigo foi espetacular, fiquei amarradão, indescritível a sensacao!!!! Ano que vem, se tudo der certo, estaremos la outra vez!!

Walter e equipe, obg por me ajudar a tornar esse sonho real e agora treinar pro próximo!

Abs

Rafael Godoy
Ironman BSB 70.3

Em Junho conversei com o Weio e resolvi me inscrever na prova, pouco tempo para treinar, mas ia fazer o mais intenso possivel, pois queria buscar novamente estar entre as top 3 na categoria.

Ano passado tinha feito o Long Distance Caioba, meu primeiro podio na categoria e Ironman 70.3 em Penha, segundo podio em terceiro lugar...

Uma vez que voce conquista uma boa colocacao, sua meta passa a ser vencer, e nao mais completar e foi para isso que eu fui a Brasilia. Mesmo tendo menos de 2 meses para treinar resolvi acreditar que poderia conseguir e treinei exaustivamente. Arrumei uma parceirassa de treino, Joana Kfuri, e fomos com tudo...corrida na bodytech, Lagoa, praia, pedal na Guapirimim, Vista, Aterro...so dava a gente!

Evolui bastante nesse tempo, mas percebia que meu condicionamento nao estava la essas coisas....afinal sentir caimbra nos treinos nao eh normal!

Quinta feira, rumo a Brasilia, com todo o planejamento de alimentacao na cabeca e no email para evitar ao maximo as caimbras....Chegando la, o clima seco estava mais ameno do que esperava (ufa!), fizemos uns treinos leves, nadamos no Lago, bebemos muuuuita agua e gatorade, arrumamos as bolsas, fizemos o bike check in e dai em diante era so comer e beber!

Domingo, hora da largada, bate aquele frio na barriga, mas o dia estava lindo, isso ajuda muito no psicologico (fiz 2 provas que choveu horrores e nao eh maneiro). A natacao foi otima, agua em torno de 21 graus, calma, sem correnteza e doce, entao nao tem tanto problema beber agua :-)...a minha meta era fazer abaixo de 40mins e consegui fazer em 37mins! Sai feliz da vida da agua! Partiu bike! La pelos 10km encontrei a Joana e fizemos a bike toda juntas, num ritmo bom, sem forcar mto e sem passear... Passamos varias adversarias das categorias e fechamos a bike em 2:40 em 2 lugar na categoria....ate entao alimentacao estava ok, mas ja tinha tomado 4 capsulas de sal e meu quadriceps ja estava puxando...achei q fosse so uma questao das capsulas fazerem efeito, mas com 200m de corrida, nao conseguia mais ficar em pe...

Quando cai no chao, vieram as lagrimas e o Nando me pedindo para parar...um fisioterapeuta que estava vendo parou para alongar minha perna e nisso vi a terceira colocada me passar....fiquei uns 10 minutos sentada, e nessa hora a unica coisa que vinha na cabeca era: "eu so quero completar, nao quero desistir" ... Tomei mais 3 capsulas de sal e depois de um tempo, consegui levantar e comecei a caminhar, aos pouco o trote foi firmando e fui indo...3km dps Nando me pergunta se esta td bem e estava melhor...consegui encaixar a corrida mas administrava as caimbras....parava em todos os postos de abastecimento, tomava gatorade e comia um pacotinho de sal (as capsulas ja tinham acabado). Na ultima volta estava com a boca completamente salgada mas feliz da vida ao encontrar minha Coisiiiinha para mais uma chegada! Meu maior incentivador, obrigada pela parceria incondicional nos treinos e por estar sempre ao meu lado, essa medalha eh nossa!

Quanto a prova...organizacao excelente, natacao otima, a bike eh um calor dos infernos, vento contra, mas o asfalto eh bom, e a corrida quente pra cacete!

Eh isso...Mission accomplished! 5:31 4 lugar na categoria...so que nessa prova, a colocacao nao importava mais...cheguei no meu limite, mas mesmo assim desistir nao foi uma opcao, esse gostinho amargo ainda nao eh para mim!

Que venham as próximas!

TRANSPORTE DE BIKES NAO CIA AEREA GOL

Material Esportivo

Todos os equipamentos desta categoria podem ter no máximo 292 cm (somando-se altura, largura e comprimento), um pouco maior que a bagagem comum, e seguem as mesmas regras de cobrança de excesso de bagagem.​
Bagagens Especiais
A partir do dia 03/01/2012, toda bagagem especial deverá ser despachada dentro de embalagens específicas. Confira abaixo as instruções de como embalar esse tipo de equipamento:
Bicicleta (unidade)
Para realizar o embarque de bicicletas (aro 20 ou superior) no check-in o cliente deve:
1. Remover os pedais ou embalá-los em espuma de plástico ou material semelhante;
2. Virar o guidão paralelo ao quadro ou embalar suas extremidades em espuma de plástico ou material semelhante;
3. Remover a roda dianteira e afixar no quadro da bicicleta de forma que não se solte;
Seguidos os 3 passos acima a bicicleta pode estar acondicionada em:
• Caixote com laterais resistentes, fabricado para transporte de bicicletas;
• Saco próprio para bicicleta (case);
• Caixa de papelão ou caixa original;
• Embalagem de plástico resistente.
• Não serão aceitas no check in bicicletas fora dos padrões estabelecidos acima.
Lembrete: bicicletas com aros inferiores a 20 são aceitas sem a necessidade de seguir os passos acima, desde que a mesma esteja embalada em sua caixa original ou embalagem própria para transporte.
A bagagem especial será inclusa em sua franquia de bagagem e, caso haja excesso, será cobrada normalmente.
Demais materiais esportivos
Pranchas de surf, bodyboard, skate, ski, bolas de boliche, entre outros, devem ser transportadas dentro de cases para transporte ou embalagens originais. Bolas devem estar murchas.
Caso os equipamentos não estejam devidamente embalados, de acordo com as regras acima, o check in está autorizado a recusar o seu transporte.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013


SABADO

reuniao IRON 2014 - ADIADA
 

CICLISMO

  • ciclismo:  barra  100 kms  6:45 no renato estrella
  • ciclismo montanha, 7:30 na rua alice / laranjeiras - alice , sumare , cx dagua , cristo e vale
  • ciclismo:  estrada 100kms, 7:15 no forza

           TRIATHLON

  • 70.3 MIAMI - 90kms na estrada
  • Iron 2014 - 90kms estrada barra 60km + joa de corrida ou barra com o ciclismo sem bike de TT

   MTB

PROVA BIG BIKER NO DOMINGO


CORRIDA

CRUCES /  Meia de Buzios* e Maratona de Búzios*  - subida da estrada das canoas e descida pela mesa/ vista

* optar por sábado ou domingo

DOMINGO

  • CRUCES/ maratona de búzios ou meia de buzios - subida no JB pela trilha da vista e ida ate o prefeito , descendo pelas canoas. retorno a origem de carro
TRIATLHON DO RECREIO DOS BANDEIRANTES

 

BONS TREINOS
Etapa de amanha da Vuelta , um dia para os Sprinters?
 
 

BRASILIA 70.3 - RELATO

DEPOIMENTO SOBRE O Ironman 70.3 BRASIL 2013
 
"Eu errei mais de 9000 arremessos na minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Em 26 vezes, confiaram em mim pra fazer a cesta da vitória, e eu errei. Eu falhei uma vez, de novo, e outra vez na minha vida. E é por isso que eu obtive sucesso." (Michael Jordan)
Acho que assim eu poderia definir o meu Ironman 70.3 de Brasília. Errei feio, errei por vários motivos, por ter adotado uma estratégia errada, talvez por ter negligenciado algumas orientações durante o treino, talvez por ter negligenciado a nutrição em algum momento, mas a real é que errei principalmente por ter subestimado a prova e por ter superestimado o meu potencial para ela. Nesse esporte não há lugar para soberba, quem errar nesse sentido vai pagar e eu paguei.
Ainda falta um longo caminho para que eu alcance o objetivo que me propus a atingir, e com certeza, esse foi o passo mais importante que eu dei em busca desse objetivo, o autoconhecimento vai me ajudar bastante nesse caminho.
O Ironman 70.3 de Brasília foi sensacional, prova muito bem organizada e muito dura. Foi uma prova limpa, os melhores atletas realmente tiveram os melhores resultados e apesar de não ter conseguido o resultado que almejava, sinto que saí vitorioso dessa prova. Principalmente porque aprendi nela, mais do que aprendi em todas as competições que havia participado até hoje. Escolhi o esporte correto. Como disse o Michael Jordan, eu errei e é por isso que vou obter sucesso!
Em relação à prova:
De uma forma geral, foi uma prova super bem organizada, da retirada dos kits à entrega das bikes foi tudo perfeito, nenhum senão. Voluntários super educados e muito bem preparados. A hidratação foi um ponto a se destacar também, não faltaram pontos de hidratação.
A natação foi excepcional, largada na água, o que provocou um pouco de demora no alinhamento por parte dos atletas, mas nada que comprometesse. Um pouco mais lenta do que no mar, mas nada que assuste. O fator positivo é que não há marolas.
O percurso de bike é duro, subidas e descidas fortes e vento e sol o tempo todo. O tempo todo mesmo. Não houve um pedaço sequer sem vento. Quem passou do limite pagou caro, e não foram poucos.
A corrida também é dura, são poucas subidas, mas são três voltas de sete km. O sol e o tempo seco castigam bastante.
Pra quem deseja fazer essa prova: nem pense, vá que você não vai se arrepender. Para mim foi um divisor de águas e a minha visão do triatlhon vai mudar depois dela. Apenas um conselho: NÃO SUBESTIME A PROVA, QUEM FIZER ISSO VAI PAGAR CARO! Eu paguei.
Muito obrigado ao Professor Walter e equipe pelo apoio, pela orientação e por me deixar fazer parte dessa equipe e muito obrigado aos companheiros de treino pelo apoio de sempre.
Grande abraço!
Bernardo Romão Corrêa Netto

 

 

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

VUELTA ESPANHA - ETAPA 5


70.3 DE BRASILIA, MAIS UM RELATO




" Vários aprendizados:
 
1. todos meus amigos Irons me falaram depois da prova: "XXXXX" , só você achava que ia fazer esse tempo de 1h40 na corrida.  Não é a mesma coisa que correr 21km, você já tem 90km nas pernas; isso porque pedalou que nem um louco, e de speed ainda".  
2. Saí da água numa boa e fiz uma transição tranquila, parei para fazer xixi e segui para a bike - não tinha mais bike nenhuma quase.  Abala o psicológico; forcei no pedal e passei muita gente, muita gente mesmo.  Na terceira volta estabilizei e mantive a posição, mas o estrago estava feito. Saí para correr cansado, exausto.  Isso porque o pedal foi muito duro, vento pra caralho e muita subidinha escrota.  Tinha um retão bom que dava pra meter 50 e tal e manter uns 40 e pouco, mas era só isso.
3. Corrida bisonha pra 2h06.  Ridículo!  Dava para ter feito pelo menos pra 1h50, mas quebrei geral.  O sol estava absurdo, muito seco e quente pra cacete.  Foi foda.  Caminhei muito, trotava, caminhava, só na segunda volta encaixei a corrida; na terceira, voltei a caminhar.  
4. Psicológico: natação: estava muito nervoso com a natação. Não sabia se ia entrar em pânico com tanta gente junta, se ia conseguir nadar e completar.  Nadei tranquilo, até demais.  Água morna (uma delícia), sem correnteza.  Encaixei a natação nos últimos 800 metros (uma braçada uma respirada, que vinha treinando).  Na bike, o tempo passou muito rápido, nem parecia 90 km, muito bom, mas acabei forçando muito.  Corrida: decepcionante, mas muito legal o aprendizado.
5. Resultado: gostei muito dessa porra.  Quero mais.  Dormi bem de domingo para segunda (acordei 08h00 da manhã!!!) e estou novo (quase).  Achei muito boas as distâncias, não é absurdo, é factível. Não sofri quase nada, a não ser na corrida, mas em momento algum bateu desespero ou vontade de parar.  Longe disso!  Eu estava puto que caminhava, mas estava exausto, precisava.  Muita gente caminhando, fodida tb.  Sem desculpas, mais trabalho."

terça-feira, 27 de agosto de 2013

BRASILIA - 70.3 - RELATO DE UM DE NOSSOS ATLETAS


 
Em linhas gerais, considerando que esta foi minha primeira prova de triathlon, achei a organização muito boa e profissional -  percursos bem sinalizados e pontos de abastecimentos bem distribuídos, sem faltar suprimento em nenhum momento. Antes da prova, o check in da bike e das sacolas ocorreu sem fila e com esclarecimentos e explicações adequadas pela equipe de apoio. 

Com relação as provas, seguem abaixo meus comentarios:

1) Natacao: A largada em massa de mil competidores dentro da água foi um pouco confusa e demorou ate todos os atletas estarem devidamente alinhados. Nos primeiros 300 metros, houve muitos atropelos, pernadas e braçadas entre os atletas. Particularmente, acredito que não tenha me posicionado bem, pois estava no meio e na frente do pelotão - recebi e distribui muita "porrada". Adicionalmente, a largada foi contra o sol, o que dificultou bastante a visualização da primeira bóia. Por fim, acho que o locutor foi infeliz ao informar que a largada seria no SENTIDO do Comil (uma edificação na margem oposta do lago) com a intenção de avisar que deveríamos nadar para a direita de quem estava a assistindo a largada do Pontal. No entanto, o Comil estava alinhado com a segunda bóia e alguns competidores entenderam que deveriam nadar na DIREÇÃO do Comil, partindo direto para a segunda bóia e prejudicando seus desempenhos na natação. 

2) Ciclismo: prova muito bem sinalizada com pontos de hidratação bem distribuídos, não faltando em nenhum momento água ou gatorade nestes pontos. Em todo o percurso, havia pelo menos uma faixa de transito dedicada para o ciclismo e a qualidade do asfalto era muito boa, com um pequeno trecho com uma trepidação acentuada. Em pontos críticos, havia uma equipe para controlar/coordenar o fluxo de veículos. No percurso não havia trechos planos, sempre subindo ou descendo, com diferentes graus de inclinação. O vento também foi outro fator importante durante todo o percurso, potencializando e dificultando nosso desempenho em pontos específicos da prova.

3) Corrida: o percurso de três voltas foi realizado em uma área residencial e em um parque a beira do lago. A área dedicada para a corrida era muito estreita e em alguns momentos parecia ter sido "improvisada" para uma corrida de 7km de bairro/escola local, passando por calcadas e trechos sinuosos sem o devido espaço para ultrapassagem entre competidores e circulação dos moradores. Adicionalmente, havia 4 passagens (subida/descida) de meio fio (rua/calcada e calcada/rua) que poderia facilitar quedas e  contusões. Na parte do lago, o vento também influenciava um pouco o desempenho nos dois sentidos. A localização dos pontos de apoio e seu abastecimento com água, gatorade e banana foi muito boa. 

Enfim, toda prova tem suas organizações, estruturas, condições climáticas, pontos fortes e fracos, etc. Esta não foi diferente e, certamente, cada atleta viveu uma experiência única, individual e particular. Na minha opinião, o saldo foi bastante positivo e a organização da prova está de parabéns pelo evento.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

VOLTA DA ENSEADA - 2013

Parabéns a todos os participantes e as meninas que deram um show na categoria estreante. Uma categoria que não estava presente a diversos anos , desta vez teve a presença de 15 atletas.



sexta-feira, 23 de agosto de 2013



 
 

SABADO

CICLISMO


  • ciclismo:  barra  80kms  6:45 no renato estrella
  • Pedal do BG - 60kms - rodar entre 33 e 35km/h 6:45 renato / 7:10 no info
  • ciclismo montanha, 7:30 na rua alice / laranjeiras - alice , sumare , cx dagua , cristo e vale
  • ciclismo:  estrada 80kms, 7:15 no forza
  • Pedal do WT: barra 80kms velocidade maxima de 38km/h , 6:45 no renato estrella

 

           TRIATHLON

  • 70.3 brasilia  BOA PROVA NO DOMINGO
  • Iron 2014 / LAS VEGAS 70.3  = estrada 80km  ou barra 60km + joa de corrida
  • olimpico short : 60 km - barra, 6:45 no renato estrella  ou 7:30 no forza
  • KONA 2013 - 140km estrada

    MTB

7:00 no brasao de Itaipava - Prof Eduardo
 

CORRIDA

CRUCES/ K 21/ Meia de Buzios e Maratona de Buzios  - subida da vista chinesa , prefeito, canoas - são conrado - leblon

 

DOMINGO

  • TRAIL RUN - PROF EDUARDO : 7:45 na pracinha do alto

Demais corredores, no trail run

 

BONS TREINOS

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

direto do site: http://www.praquempedala.com.br/blog/curiosidade-voce-sabe-qual-e-a-audiencia-mundial-do-tour-de-france-prepare-se-para-tomar-um-susto/

 

Curiosidade: Você sabe qual é a audiência mundial do Tour de France? Prepare-se para tomar um susto!

        
Hoje ocorreu uma discussão em um dos meus posts, sobre a capacidade do ciclismo de gerar retorno de mídia para patrocinadores… Daí fui pesquisar a audiência do Tour de France!
 
Tour_Press
 
Aqui vão algumas informações retiradas do site do Tour.
  • O Tour de France é o maior evento esportivo anual do mundo
  • A audiência mundial do Tour via televisão é de 3,5 bilhões de pessoas, todo os anos
  • Transmitido para mais de 188 países ao vivo
  • 121 canais de televisão cobrem o evento
  • 4.700 horas de cobertura televisiva todos os anos
  • 2.000 jornalistas de 12 nacionalidades vão para o tour todos os anos
  • 1.200 quartos de hotel são utilizados pelas equipes
  • 12 milhões de pessoas saíram as ruas para ficar ao lado do percurso e assistir o Tour de France
  • O Tour gerou ganho de 88 milhões de libras para a economia das cidades onde passou
  • E gerou cerca de 35 milhões de libras em retorno de marketing.
É… e o Brasil acha que só o futebol que gera retorno… E 99,5% da população brasileira nem sabe que existe o Tour de France…

Nossos atletas na Meia Maratona do Rio

ana bocanera 01:49
clarisa butelli 02:29:08
daniele monteiro 02:18
eduardo teixeira 02:23:28
henrique werneck 01:23:25
joao leal  02:10
joao lopes 01:43
marcelo goelga 02:10:58
pedro andrade 02:05
ronaldo coelho 02:13:11
theo 01:46:17
thomaz magalhaes 01:52:53

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

AUDAX 400, Por Fred Campos

Walter, foi show ! muito duro, muito vento, muito esforço. Mas cada km de treino ajudou. Fiz um relato grande, para amigos e familiares, se quiser publicar ficarei muito feliz.
Relato Audax Brevet 400 Boituva - SP / 2013
Para conhecer mais: o Audax é uma prova de longa distância que segue os regulamentos do Audax Club Parisien. Uma série de Brevet é composta por 4 provas, 200km, 300km, 400km e 600km em um ano-calendário, que se terminadas dentro do tempo limite lhe garante o "brevet" para correr a Paris-Brest-Paris (1.200km). Todas provas ininterruptas, onde o ciclista precisa ser autônomo e não pode receber apoio externo durante a prova (somente dentro dos postos de controle).
Me preparei no melhor estilo "nerd". Estudei cada cruzamento da estrada para não perder tempo, colei no quadro uma planilha de alimentação para não ter que pensar no que comer e beber, tracei um plano de metas com tempos e nível de esforço em cada trecho, alinhei tudo com a altimetria para aproveitar melhor as descidas e me poupar nas subidas.
Pela frente: 412km com cerca de 4mil de altimetria.
A largada para esta prova foi às 7 da manha do sábado (17/08/13) no centro de Boituva, partimos em ritmo neutralizado com apoio da Guarda da Prefeitura até chegarmos na Rodovia Castelo Branco, eramos 93 ciclistas na prova. Logo no começo eu senti um bom vento a favor, o suficiente para permitir um ritmo forte sem muito gasto físico.
Cheguei no Posto de Controle 1 (PC1) com 2h:20 de prova no km 77, média de 32km/h graças ao percurso plano, nesta hora eu já estava entre os 10 primeiro, o que me assustou um pouco, pois talvez estivesse errando a dose e forçando muito. Parada rápida, hidratação, gel, frutas e com as garrafas cheias parti acompanhando um grupo de 3 ciclistas. Pela frente encarei a famosa Serra de Botucatu, 8km a 5%. Confesso que nem tomei conhecimento, com a bagagem do L´Etape du Tour ataquei a subida com marcha pesada mantendo 20km/h de média. Entrei na rodovia que liga a Castelo Branco com a Marechal Rondon, chamada de "Castelinho", acompanhado por 2 ciclistas que estavam pedalando super bem, com um bom ritmo e logo se tornaram meus "melhores amigos" durante a prova.
No PC2 cheguei com uma ótima média, cerca de 30km/h, era meio-dia. Novamente o ritual: hidratação e alimentação (sempre reforçada). Pela frente estavam as 15 colinas da Marechal Rondon, uma montanha russa de sobe e desce até Bauru.
Saí do PC2 sozinho, meus amigos que eu tinha acabado de fazer ficaram um pouco mais. Logo depois de 20min um furo, sem problema, câmara trocada em 5min. Alguns quilômetros depois outro furo, agora na dianteira, novamente uma troca rápida e voltei a pedalar. Durante os furos fui ultrapassado pelos dois outros ciclistas, o que foi ótimo, pois me deu uma meta de recuperação.
Cheguei no PC3 no km 206 com o maravilhoso tempo de 7h:20min, agora em 7o lugar, percebi que o ritmo estava certo e as posições ganhas foram um motivador extra. 
Mas lá vimos a mudança do tempo chegar. Um forte vento, forte de verdade, alinhado exatamente contra. E agora começou o desespero que dividi com os outros 2 ciclista que me acompanhavam. Subidas que antes passamos a 20km/h agora eram vencidas com sofrimento a 10km/h. Nas descidas eu precisava manter o esforço, se não pedalasse a bike parava até mesmo nas descidas. Conversar era impossível pelo barulho do vento. A sensação era de que estávamos a 40km/h, mas o computador marcava 16-18km/h. 
Só passava pela minha cabeça o cálculo do tempo de prova, faltavam 200km, velocidade de 20km/h = 10horas. Logo depois a média baixou para 15km/h, e com isso o tempo só aumentava o tempo e piorava a hora de chegada, cada vez mais dentro da gelada madrugada. A solução é pedalar, sempre.
Cheguei no PC4 no km 260 "acabado", mas lá havia macarrão, café, e muita gente da organização dando apoio psicológico. E apoio psicológico vale mais que físico nestas horas. Já era noite, adicionei 1 camada de roupa extra e me preparei para a madrugada com frio de 10 graus pela frente.
Farol acesso e com 12h de prova saí sozinho ocupando o 5o lugar agora, novamente meus amigos de prova ficaram mais tempo no PC, e não vi mais eles. Pela frente só escuridão, vento e frio. Algumas vezes eu parava para "conversar" com o vento (loucura?), quando passava por um viaduto ou vale na estrada a sensação era de um vendaval. Aproveitava os pedágio da rodovia para parar por 2-3 min e me recompor mentalmente ao abrigo do meu pior inimigo.
E então km a pós km na marca de 334km pedalados vi as luzes do PC5, um ótimo posto de serviço com restaurante e estrutura para recompor as forças. O relógio marcava 22:20 da noite, mais de 15h de prova. É claro que dava vontade de parar e dormir, se aquecer, se proteger do vento que assoviava fortemente. Mas eu havia treinando muito para esta prova, se é para pedalar tem que ser forte. Lembrei do Walter dizendo na véspera da prova para "acelerar", e não podia ficar dormindo depois de tanto treino, era hora de vencer o vento e terminar forte. 
Alimentado sai com as mãos no "drop", na melhor posição aero que minhas costas permitiram. Não esqueci em nenhum momento do plano de alimentação, o ritual de hidratação e alimentação não podia ser interrompido. Comer sem fome era a regra, nem que para isso eu tivesse que diluir paçoca com gatorade para conseguir engolir.
A cada 30min uma rápida parada de 1 min, alongamento, alimentação e concentração. Logo o computador marcou 400km, faltavam somente 12km. 
E na madrugada gelada às 02:22, sem público, sem torcida, eu cheguei. Antes de deitar no chão encostei delicadamente a bike e entreguei meu passaporte ao fiscal de prova. Recebi um parabéns e a notícia: "você ficou em terceiro". E assim acabou a prova, no silêncio e no escuro, comemoração interior no melhor estilo Audax. 
Obrigado a todos que me ajudaram, que me motivaram. E um enorme muito obrigado ao Walter, por acreditar no meu potência de endurance e ajudar a moldar meu preparo físico para este tipo de desafio.
Agora é pensar nos próximos passos, colocar na bagagem o aprendizado e estudar a melhor hora para o 600k.

Abraços !

 

Fred Campos

 

PS: Curiosidades da prova = 93 largaram, 42 não completaram no tempo ou desistiram, 412km pedalados em 19:20h, 12.000 kcal gastas, 15 litros de líquido, 8 gels, 10 bananas, 3 barras de cereal, 1 barra de proteína, 3 litros de hipercalórico=whey, 1 sopa, 1 macarrão instantâneo e 3 furos de pneu.

 

 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013


SABADO

CICLISMO

  • ciclismo:  barra  80kms + canoas, 6:45 no renato estrella
  • ciclismo pra quem vai a conservatoria: 60kms no plano
  • ciclismo montanha, 7:30 na padaria sec XX, vista , mesa , alto e cristo
  • ciclismo:  estrada 100kms, 7:15 no forza
  • Pedal do WT: barra 60kms velocidade maxima de 38km/h , 6:45 no renato estrella
  • Pedal dos Iniciantes - Prof Rita 7:00 no alphaville

           TRIATHLON
  • 70.3 brasilia  60 kms - estrada 8:00 no forza ou 6:45 no renato estrella
  • Iron 2014 = estrada 100km  , 7:00 no forza
  • olimpico short : 60 km - barra, 6:45 no renato estrella  ou 7:30 no forza

   MTB
Prova em Congonhas

CORRIDA
CRUCES/ K 21  - subida da vista chinesa pela trilha

DOMINGO

AQUARIO AS 7:15 no posto 6 em copacabana

  • CRUCES / K 21- a partir da nissan em são conrado, sobe canoas, prefeito, mesa , vista e desce pela trilha para o JB
  • meia de buzios / maratona de buzios = cruces


BONS TREINOS
Treinos em dias de vento ( treino de Ipanema de 14/8), mas a atençao e ajustes servem para todos os dias e locais

Ontem tivemos um dia de treino em Ipanema um pouco atípico mas não impossível de ocorrer regularmente.  Acabei ficando parado em um cruzamento do Leblon, pois reparei que aquele ponto era critico par a segurança e também pude observar algumas coisas que creio serem importantes para o desenvolvimento e segurança de todos.

1.       Uso de casacos e corta ventos ABERTOS contra o vento , fazendo um efeito de paraquedas

2.       Muitas pessoas rodando de pratao  (coroa grande na frente) que não conseguem fazer força na mesma. Via de regra, em caso de trechos fortes ( ex: mesa do imperador) não se  usa o pratao . O uso do pratao e do cassete maior levam a barulhos na corrente e cambio eventualmente, pois esta não é a posicao indicada para uso.
3.       Atletas usando a marcha na perna a favor do vento quase quicando no selim , sem passar a marcha e manter o corpo estavel. Manter a cadencia é fundamental no ciclismo.

4.       Ciclistas desabituados a conduzirem a bike em velocidade alta, o fazendo , e certamente numa emergência , não saberiam conduzir e frear a bike. Principalmente nos cruzamentos onde ninguem aliviava a velocidade.
  
5.       Enorme proximidade entre as rodas traseiras / dianteiras incorrendo em possibilidade de toque a todo momento. O vento estava instavel e consequentemente manter a velocidade constante mais difícil.

6.       Uso de rodas de bainha alta, muitas vezes não se tem outra alternativa, mas deve-se optar nesses dias por rodas de bainha baixa e / ou ter extremo cuidado.


7.       Na perna contra o vento, tentar segurar o guidom na posição de "baixo"  e deixar os cotovelos alinhados com os ombros. Assim como os joelhos.